quarta-feira, 1 de dezembro de 2010

Aonde está vc????


Ela anda largada às traças. Eu já gritei, mas ela insiste em não ouvir. Ficou surda. Voz então ela nem se lembra mais se era soprano ou cicrano. Os dois olhos negros ela pisca com força e faz bico. Dá de ombros pra minha impaciência. Bate o pé no chão feito criança. Consegue, por mais incrível que pareça, ser mais teimosa que a mim. Ela senta na minha frente, num canto qualquer, e me olha como se fôssemos duas entranhas. Quando eu tento puxar um assunto ela a mostra língua, sai correndo, pára, faz uma banana pra mim e morre de rir. Quando eu acho que ela vai dar o ar da graça ela boceja na minha cara e pega num sono profundo. Não quer saber de mim. Ela não gosta mais de mim. Mal sabe a tipa que dela preciso. Que minha sanidade mental e psicossomática dela dependem. Desaforada. Ah! Se eu vir por aí, rondando meu quarto e me provocando pra depois sair fugida pelo ladrão, eu a pego pelo braço, a coloco no colo e dou palmadas até ela pedir água e prometer que vai coloborar. Safada. Mas você vai voltar que eu bem sei. Mas vê se não fode meu pavil que de curto já quase explodiu. Até rimou. Viu? Ei? Ficou orgulhosa? Inspiração??? Por onde andará a porra da minha inspiração????

domingo, 21 de novembro de 2010

POIS EH...




E depois de muito tempo você me tocou, deixei me levar, por mais loucura que fosse o que estávamos tendo e do modo como.
Mas então, quando eu já estava lá em cima,flutuando com todas as borboletas em meu estômago, você me jogou no chão, me deixou cair.
Recoloquei a pedra em meu coração mas hoje, não sei por qual motivo, me lembrei de você.
Meu coração voltou a ficar apertado por saber que existem pessoas más e mentirosas, como nos deixamos enganar...
Como a vida é engraçada, na verdade a palavra aqui seria encruzilhada. Do nada ela coloca alguém na sua vida e da mesma maneira repentina ela te tira, mas o bom disso eh que aprendemos a valorizar o que temos de melhor... eu soh tenho o melhor.
Com o quse termino do meu casamento eu penso como a vida eh boa comigo, meu amor e eue stamos muito melhor que antes, nos conhecemos mais e nos entendemos bem mais...
Amooooo até as coisas e pessoas ruins que me fazem ser melhor...

segunda-feira, 25 de outubro de 2010

TODOS TEMOS DUAS CARAS?


Tem gente que enche o peito para dizer:
Eu sou honesto o tempo todo, doa a quem doer!
Minha opinião? Mentira!
Todo mundo usa algum tipo de máscara, em alguns momentos da vida. Seja fingindo interesse pelo papo massante daquela tia que te adora e que você adora, mas que simplesmente, naquele momento, tá se saindo uma chata de galocha e você sabe que vai passar daqui a pouco quando mudarem de assunto...
Ou quando sua melhor amiga está contando pela milésima sobre aquele super moreno gato gostoso Most Wanted de sua vida e você simpelsmente não pode falar pra ela que você já sabe as virgulas que ela vai usar para te contar essa mesma parte...
Ou quando sua avó vai contar a mesma história de sua infância/juventude naquela repetição interminável dos avós e bisavós, mas que fazer o que? Eles contam com tanto carinho, amor e sabedoria que sim, você vai ouvir e fazer cara de surpresa a cada reviravolta da história que no final te dará aquela lição de moral que só avós sabem dar.
Seja fingindo não estar com vontade de esmurrar aquele FDP abusado e simplesmente usar a sua melhor expressão de desprezo diante do comportamento estúpido.
Ou quando você tem vontade de bater em seu chefe pela sua excelência em burrice que ele acaba de provar ao falar a bobagem que falou.
Seja em qualquer outra situação. O fato é que realmente não acredito que usar uma máscara em determinadas situações como para não magoar alguém, ou para não descer ao nível da [desculpem a expressão] vadiazinha que está dando em cima do seu namorado descaradamente e na sua frente, seja para não ser despedida.
O real problema é quando a máscara deixa de ser uma escolha , no qual você decide que vale a pena ouvir a história mais uma vez, e entra no automático, tornando difícil para você tirá-la e expor o que realmente sente. Porque uma hora você vai ter que falar, e é melhor que não seja após o choque de arrancar a máscara do seu rosto.
Até porque nunca usar uma máscara torna a pessoa uma louca, ja que essas chamadas "máscaras" muitas vezes nada mais são que você tentando dominar seus sentimentos. O importante é estar no controle, mas liberar esse controle quando necessário. Parece contradição. Mas não é. A gente aprende que não é.

quarta-feira, 20 de outubro de 2010

QUE MUNDO EH ESSE ??


O que vamos deixar para nossos filhos???

A gente corrompe, suborna. Renega a própria família. A gente assassina pais de família friamente. A gente bate em mulheres. A gente não tolera gays, travestis ou coisas do gênero. A gente espanca, mata, mutila. A gente invade casas. Faz reféns, tortura inocentes. A gente assalta velhinhas na rua. Coloca fogo em índio. A gente atira primeiro e pergunta depois. A gente rouba dos pobres. Vende a merenda das escolas públicas. A gente deixa pessoas morrerem na porta dos nossos hospitais. A gente rouba as bolsas dos pedestres. E eles que levantem as mãos pro céu e agradeçam se saírem ilesos. A gente faz dos nossos carros verdadeiras armas. A gente chuta bengala de deficiente físico. A gente desvia dinheiro. Engana as pessoas. As meninas indefesas a gente faz mulher a força. A gente espanca nossos filhos. Alguns até a morte. A gente faz arrastão, espalhando medo pelas ruas. Até avião a gente rouba, pra depois jogar em cima da cabeça de todo mundo. A gente coloca nossos filhos pra pedir esmola até altas horas da noite. Descalços. E se quiserem comer vão ter que pedir pra alguém. A gente violenta nossas crianças. A gente vende o corpo pra encher o cu de droga. A gente mora na rua e fede que nem gado. Que nem bicho. A gente ganha salário pra proteger a população, mas a população tem mais medo do que confiança na gente. A gente tem muita grana, mas quer mais. A gente mente. E muito. A gente é cruel. A gente traumatiza pessoas. Faz tortura psicológica. Xinga pai e mãe. Cospe na cara dos nossos avós. A gente não trabalha, mas ganha. A gente deixa milhões de pessoas morrerem de fome. A gente não ensina nossas crianças a ler e escrever. A gente tem identidade falsa. A gente finge que é médico e mutila pessoas. Vende drogas. Usa drogas. Rouba da própria casa. Depois da missa a gente peca. Mas reza dez pai-nossos e dez ave-marias. A gente judia dos bichos. Taca fogo em rabo de gato, abandona cachorro na rua, espeta touros. A gente escraviza. A gente trai, chifra, passa a perna. Vai na ferida. Denigre a imagem das pessoas. A gente pede esmola e se ganha comida a gente joga no chão. A gente sequestra. A gente assalta bancos. A gente usa pessoas como escudo. Casamentos e amizades a gente destrói. A gente arrasta crianças pelo asfalto, esquarteja amantes, mata nossos pais, prende nossas filhas e netos em cativeiro por anos, a gente atira nas crianças dentro das escolas.

É nesse mundo que você quer viver, meu filho? Não vai. Porque a gente mata os bebês que moram dentro da gente.

quinta-feira, 14 de outubro de 2010

DO MEU AMOR PRA MIM ( QUIS COMPARTILHAR)



Então o que eu ia lhe dizer? Que você é linda? Que você não sabe o quanto é linda??? Você tem noção do desenho que sua boca tem? Um risco que começa no cantinho esquerdo, sobe, faz a curvinha debaixo do nariz, que daqui a pouco vou falar sobre ele, desce até o cantinho direito. Desce novamente, dessa vez de um traço mais arredondado, e sobe encontrando o cantinho esquerdo. Os olhos escuros como os cabelos lisos e as vezes ondulado quando acorda. Castanhos olhos, cabelos nem tanto. O que mais? Ah sim, o nariz!!! Mas que belo, belíssimo esse de quem vos falo. Arrebitado como o que. E por que ele se arrebita mais ainda quando você sorri mostrando sua coleção de dentes brancos e alinhados? E sua mãozinha fria feito meu coração. Você me deu um beijo de despedida e eu fui para o aeroporto com o peito apertado. Só 4 dias sem nos ver e parace a eternidade. E eu aqui nesse quarto frio de hotel com saudade da sua gargalhada. Tentando me lembrar o formato exato da sua sobrancelha. Que, de fechar os olhos quando te beijo, não pude decorá-la. Te amo baixinha linda...

terça-feira, 12 de outubro de 2010

Amor qundo eh demais...


Farei o possível para não amar demais as pessoas, sobretudo por causa das pessoas. Às vezes o amor que se dá pesa, quase como uma responsabilidade na pessoa que o recebe. Eu tenho essa tendência geral para exagerar, e resolvi tentar não exigir dos outros senão o mínimo. É uma forma de paz...
(C.L)

quinta-feira, 7 de outubro de 2010

CARTA AO MEU AMOR ...


Então faz assim: continue sendo o homem que eu sonho para mim. Seja bonito, charmoso e bem-vestido o tempo todo. Dê aquele sorriso malicioso e me olhe com seus olhos fortes. Me conte uma história interessante, diferente e engraçada. Me faça dar uma boa gargalhada. Continue me elogiando e me fazendo acreditar que eu sou a mulher que você sonhou para casar. Contrarie o mundo e todas as evidências de que você é um cara malandro. Seja malandro, mas só quando estiver falando bobagens no meu ouvido. Seja inteligente e tão pouco convencional, pois foi por isso que me encantei com você. Me faça esquecer o mundo lá fora e arranque de mim todas as dores que me perseguem antes de eu pegar no sono. Pegue no sono comigo, de preferência do meu lado, sem precisar falar muito, é só deitar, encontrar uma posição confortável e dormir até acabar o sono, porque assim você vai estar vigiando meus pensamentos. Fique do meu lado o tempo todo que você puder, mesmo quando não estamos fisicamente juntos, seja no msn, nextel,facebook, pessoalmente ou dentro da minha cabeça. Enquanto você estiver comigo, meu pensamento estará seguro das coisas que eu não quero pensar. Me salva dessa. Me tira dessa. Você não precisa mudar, eu mudo por você se precisar. Me faça sua menina, sua namorada, sua amante, sua mulher. Vou casar com vc quantas vezes você quiser se casar comigo... te amo
Mas amanhã quando eu chegar, antes de você tornar tudo isso real, eu só te peço um coisa: "Me abraça devagar, me beija e me faz esquecer...", é por isso que farei tudo por você.

Universo me devolvendo...


Eu sempre fui tão focada nos meus pedidos para o Universo, que dessa vez o mundo inteiro tem que reconhecer: eu sei pedir para o Universo.
Mesmo quem gosta de ser "do contra" dizendo: "Eu não acredito nessa baboseira do Segredo", com certeza, vez por outra se pega pensando de forma sistemática nos seus próprios desejos tendo a certeza que eles serão realizados só porque está pensando neles de forma sistemática.
Sempre acreditei, sempre exercitei e sempre invoquei pacientemente a resposta do Universo.

De todas as coisas que deram certo, até hoje a que deu mais certo veio agora.
Com os mínimos detalhes que eu invoquei, desejei e sonhei.
Exatamente do jeito que eu sempre acreditei.
E só tenho que agradecerao Universo por tudo isso...

quinta-feira, 30 de setembro de 2010

quarta-feira, 29 de setembro de 2010

AMIZADE...




Hoje pude nao fazer nada. Me dei o dia pra nao fazer nada. E foi engraçado, porque pela primeira vez em algum tempo eu nao pensei em nada..nadica de nada..fiquei jiboiando em casa por recomendação médica(tenho que ter cuidado com esse ócio todo me faz pensar demais e ter sonhos em francês). Sao 17:05. O sol esta se pondo e o céu está meio nublado. Tava pensando numa conversa que tive hj no msn com um amigo. Sempre o achei muito maduroo e consegui ver hj que ele eh, mais ainda tem muitos traços de imaturidade, como eu. Eh engraçado como certas situações na vida da gente fazem milagres. Ele falava tao claramente sobre arrependimento de coisas idiotas que faz. Sobre seus proprios erros. Eu ja sabia o que ele me falava, porque o conheço bem, mas ele falava " eu errei nisso, nisso e nisso"..." como eu fui imaturo e nao me dei conta dessas coisas"...adorei ter visto que ele sabe disso, embora tenha sido um sofrimento dolorido, mas ali estava o resultado na minha frente. NSoh um homem diz essas coisas com clareza. Algumas pessoas passam em nossa vida com um papel social a cumprir e so vamos nos dar conta disso depois. Elas vao lhe mostrar coisas que voce nao conseguiria ver antes. Geralmente, a dor acompanha essa evolução, mas toda dor, sem excecao, passa, mas o que voce aprende nao. Pensei nisso enquanto ele falava. Ouvi de outra pessoa " que ninguem sabia o que a gente passa quando magoa alguém". Mais fico feliz de ver que tenho maturidade para acolhe-lo e entende-lo. Por isso, enquanto ele falava, eu quase dizia"eu também errei bastante"..." como eu sou imatura e as vezes não me dou conta dessas coisas".

EAT, PRAY LOVE...



Gente, to em dívida comigo mesma. Há meses terminei (devorei) um livro fascinante, chamado Comer, Rezar e Amar ( Eat, Pray and Love. Aut: Elizabeth Gilbert). A historia fala da alma feminina e de seus questionamentos em relação ao amor. Mas ao contrário, do que se pode pensar em eu abordar o tema assim, o objeto nao eh a mulher em busca do amor, mas em busca de si mesma, como um primeiro passo, antes do encontro com amor. Refleti muito nesse livro, tanto sobre mim, como sobre varias situações que ja vi por ai. As vezes, ficava impressionada e pensava "nao eh possivel que todas as mulheres se identifiquem tanto com esse livro quanto eu?" Mas depois que voce vê na capa escrito em vermelho" Mais de 4 milhoes de exemplares vendidos", vc percebe que vc nao tem nada de especial, eh apenas mais uma mulher com suas inquietações e questionamentos. Mas, gente, me vi nas inquietações, me percebi nos medos, na impulsividade, na ansia por conhecer o mundo, nas observações de detalhes da vida e do desligamento total de coisas que parecem ser obvias e que nao enxergo, no amor pelas amizades, pela busca por si mesma, pelo medo das decepções, por estar sempre sonhando, por adorar sair por ai, por se sentir dona no proprio nariz, por achar que ninguem é capaz de cuidar melhor de mim do que eu mesma e ao mesmo tempo querer que esse alguem exista. Mas calma, esse nao eh um livro de auto ajuda e muito menos se trata da minha historia, mas sim do que a autora viveu, do aprendizado de que cada um tem a responsabilidade pelo caminho que trilha e pelas opções que faz pra ser feliz. Enfim... quero deixar aqui registrado que foi um livro que me identifiquei, até porque sempre a gente se ve pouquinho em todos os que lê, neh?

terça-feira, 28 de setembro de 2010

SOU UM DRAMA ...


Exagerada toda a vida: minhas paixões são ardentes, minhas dores de cotovelo, de querer morrer; louca do tipo desvairada. Briguenta de tô de mal pra sempre. Durmo treze horas seguidas, meus amigos são semi-irmãos, meus amores são sempre eternos e meus dramas... mexicanos.

APROVEITE...


Eu não quero que você tenha medo. Deixa fluir. Deixa acontecer. Eu entendo que o envolvimento assusta. Eu entendo que cair de cabeça, mergulhar bem fundo, pode machucar. Mas eu não quero evitar você, nem os momentos bons, nem a questão de pele, de beijo, de bom humor, de boas risadas, de bons amigos, de boas mesas de bar, de tudo.
Entenda que relacionamentos vão e vem, que as pessoas são diferentes e que nem que a gente vivesse 100 anos, os romances, carinhos, afagos e afetos seriam perfeitos, basta que eles sejam completos. Se entregue até o ponto que você tiver vontade de se entregar. Não se poupe do envolvimento necessário para ser descontraído, relaxado, gostoso, sincero.
Não me diga não, quando estiver com vontade de dizer sim. Não me repreenda, não corra, não fuja. Só me beije, me abrace, me pegue, me leve para casa, me esquente embaixo da coberta, durma comigo, confie em mim e veja que eu sou legal assim.

segunda-feira, 27 de setembro de 2010

Palavras ao vento - Cassia Eller

VAMOS DANÇAR!


Fico, as vezes, pensando quanta energia desperdiçamos com coisas que não estão ao nosso alcance mudar...Quanta culpa jogamos em cima de quem esta perto de nós de coisas que temos vontade de fazer..Quantas vezes deixamos de sair com preguiça de se arrumar...Quantas vezes deixamos de falar o que pensamos com medo do que vão achar de nós...Quantas vezes deixamos de comer pra nao engordar...Quantas vezes deixamos de vestir aquela roupa velha que adoramos com receio de estar demodê...Quantas vezes não assumimos o que realmente temos vontade de fazer. Quantas vezes o grito fica entalado pra não acharem que estamos loucos. Quantas vezes estamos felizes suficiente pra saltitar pelas ruas e não fazemos. Sou a favor do "faça o melhor pra si". Acho que nao estamos aprisionados a nada...a ninguem. Devemos fazer o que achamos que é bom pra nós. Mas, claro, tendo consciencia que nossos atos geram consequencias e dessas não há como fugir. Se você não se importar com os olhares ao dançar pelas calçadas em dia de chuva...dance, não se importe...mas, se, de repente, se envergonhar, jamais culpe quem estiver observando você...Toda escolha implica numa perda. Você nunca vai poder ter tudo, entao....

ENQUANTO VC...


Enquanto vc imaginava as músicas que eu ouvia era pensando soh em outras pessoas, eu estava ouvindo músicas pensando em vc tb...
Enquanto vc se preocupava em me magoar, eu pensava como trazer alegria pra vc...
Enquanto vc se pertubava com a minha historia, eu adorava ouvir vc me contar suas histórias...
Enquanto vc me achava pouco, eu agradecia a Deus por ter colocado vc na minha vida....
Enquanto vc não depositava a confiança que a nossa amizade precisava, eu acreditava que seria a ultima vez que vc não acreditaria em mim...
Enquanto vc deve estar achando que estou escrevendo isso aqui pra cobrir algo que ficou pra trás, eu estou aqui com a minha saudade...
Enquanto vc olhou tanto pra trás todo esse tempo, senti que vc esqueceu que amizade caminha lado a lado....

sexta-feira, 24 de setembro de 2010

O QUE FAZER QUANDO NÃO DESEJAMOS MAIS?



Ouvi de uma amiga minha um dia desses " Ro, isso tudo que ta acontecendo me provou que dinheiro não vale nada." Os dois eram jovens, bonitos, tinham filhos saudáveis, uma gorda conta no banco, apto dos sonhos novo, carro do ano e estavam em processo de divorcio...segundo ela "paramos de desejar..conseguimos tudo o que queríamos". No meio da perfeição, veio a velha necessidade do homem de buscar. A justificativa dele no "adeus" foi de que "precisava viver a vida", como se anos de vida a dois e a criação de uma família não fosse uma, mas não to aqui pra criticar ninguem. So que corremos atrás de tudo e quando conseguimos? e depois? Ninguem disse o que se faz depois que achamos o pote de ouro, nos filme a história parava ali " e todos foram felizes para sempre". E depois? fiquei pensando se fosse comigo que faria...pensei numa resposta instantanea e veio logo a cabeça (pra variar) viajar, viajar e viajar, mas sim e depois?, toda ida tem uma volta...O que se faz quando não se deseja mais? Ou quando nos cansamos de ter tudo que desejamos? Desejamos desejar de novo?...desejamos novos desafios? Nós, os eternos insatisfeitos... Ela com certeza agora tem um novo desejo, reformular uma historia...montar as pecinhas de outro jeito...E ele, enquanto as pessoas, geralmente, buscam situações comodas, ele precisou do tumulto, pra ter sua tranquilidade.

IR ALÉM...




"Isso de querer ser exatamente aquilo que somos ainda vai nos levar além”
(Paulo Leminsk)

Em todos os meus textos, tenho duas etapasquando resolvo postar aqui no blog, que pra mim sao tao quao importantes. A feitura do texto e a escolha da fotografia que o acompanhará. Nao eh um principal e um acessorio, mas sim dois principais. Queria colocar essa frase do Leminsk pra constar aqui no blog. Ja a conhecia ha algum tempo e sempre tomei ela como um lema pra mim. Entao,acabei de escrever, resolvi colocar aqui, mas pensei:" que imagem pra simboliza-lo?". Pensei no patinho feio, mas dai lembrei que ele ficava triste por nao ser como os outros. Dai descartei o pobre do pato. Vi algumas fotografias de solidao, mas também nao era isso. O poema traz força na palavra e nao tristeza. Dai pensei nas Paraolimpiadas, recebi na pesquisa um milhao de imagens lindas e pensei.." Eh isso!"..confesso que foi dificil escolher a que caberia aqui. Fotos com muita garra. Depois fiquei olhando pra essa imagem ai em cima e prestando atencao o quanto ela se adequava ao poema. Explicando melhor. Digamos que essa nao eh uma imagem que possamos dizer " de encher os olhos" ( a primeira vista). Claro, de alguma forma quebra a harmonia do que "deveria ser"e nao foi. No entanto, eh exatamente isso que fala Leminski, embora vc nao seja o que os outros esperavam que vc fosse, acredite em vc. Vc pode nao ser o que as pessoas esperavam, mas pode ser mais do que eles imaginavam que vc podia ser.
PS: Pra aqueles que ao inves de tentar, lamentam. Pra quem desiste dos sonhos por que outros acham que não é possivel. Pra quem muda pra agradar outros olhos e acaba se perdendo

CHOCOLATE QUENTE...



A cozinha bem perto da minha sala. Meus dias voltaram a ser exatamente iguais..todos os dias. Despertador toca as 6:40, onde tudo começa e as 21h onde ele avisa que ta na hora de voltar pra casa pra acordar novamente as 6:40..trabalho, rotina e disciplina...mas voltando, a cozinha fica perto da minha sala e geralamente as exatas 17:00h levanto da minha mesa e vou estirar um pouco as pernas. Sempre vou devagar, adoro perceber o burburinho e o barulho das pessoas que estão por lá...ando ali percebendo td...um monte de assuntos, uns grupinhos de funcionários, algumas clientes mais intimas batendo papo (sempre a mesma hora), completanto a paisagem sempre tem a Jô passando café fresco e a Ana no celular com o namorado, onde me parece que sempre estão fazendo juras de amor, nunca discutindo a relação...o lugar é muito pouco propício pra isso, diria que tem tensão de menos...Sigo em direção a pia e peço pra Jô um choclate quente...Em um desses dias, pedi meu chocolate grande e fiquei pensando, como eu tenho pouca pressa hoje, como desacelerei e como sou mais feliz... como eu sempre quis tudo pra ontem, sempre quis que as coisas acontecessem ao meu modo e tempo...coisa de capricorniana. Nao deixei de ser capricorniana, mas ate boi eh domado, porque eu não não? Hoje aprecio a tranquilidade que eu construi. Fiquei pensando se nao era da idade...a gente aos vinte parece que ta pela hora da morte, querendo viver tudo como se fosse tudo acabar amanha...Ja as crianças não tem pressa...vivem com calma e sem grandes objetivos...pobres inocentes inconcientes que ali esta a melhor fase de toda a vida...Mas fiquei pensando...Sera que isso eh a tal da maturidade que dizem que chega pra todo mundo? Não sei....mas refletindo sobre isso lembrei de uma musica do Almir Sater que adoro e que tem tudo a ver com isso "Ando devagar porque já tive pressa...Levo esse sorriso porque já chorei demais..Hoje me sinto mais forte, mais feliz quem sabe...Só levo a certeza de que muito pouco eu sei...Eu nada sei"... O tempo tava meio nublado e ela combinou comigo e com aquela chuvinha sem pressa......minha confusão interna ja anda mais educada, podada...acho que aprendi que vc tem que fazer por onde as coisas chegarem ate vc, pra saber que um dia elas chegam, mas não chegam no dia que vc quer...


Tomei meu café sem pressa...

MEUS VERSOS DE CRIANÇA


Me dá um pedaço da Lua??
Eu fatio em pedacinhos.
E guardo o primeiro pra você.
O segundo também se lhe apetecer.
O terceiro não.
O terceiro é do moço que roubou meu coração.

Me dá um gole do mar?
Eu tomo de canudinho.
E faço bolhas pra te ver sorrir.
Recolho uma, duas ou três conchas.
Ou estrelas-do-mar.
Pra nos seus cabelos pendurar.

Mé dá um teco de terra?
Eu faço nela um buraco.
Planto uma muda da mais vermelha das gérberas.
Rego, adubo e até converso com ela.
E, se você vier.
Um dia brincarmos de bem-me-quer.

Me dá um tanto do seu amor?
Nem pedaço, nem gole, nem teco.
Ele por inteiro.
Sem faltar fresta ou buraco.
Nem um triz.
Que é pra eu poder ser feliz.

quinta-feira, 23 de setembro de 2010

DECEPÇÃO...




Sabe quando vc tem um amigo especial, alguem que vc pode contar seus segredos, dividir baboseiras, rir sem motivo, ouvir o pranto, dar e receber conselhos, mesmo sem ser pedido??
Eu achava ter um amigo desse, achava ter encontrado uma amizade sincera e desinteressada, me doei nessa amizade, me entreguei, fui amiga, confidente, tb contei segredos...
E me decepcionei tanto que não chega nem a doer, porque eh tão estranho vc ter uma pessoa em um patamar e de um segundo para o outro essa pessoa se tornar normal, pior que isso se tornar vil, estranha, e trair sua confiança...
Uma pessoa que soh enxerga o próprio umbigo, que eh incapaz de ligar para saber se vc esta bem, mesmo sabendo que vc esta em um momento dificl de saúde.. Dai vc começa a reavaliar e perceber que vc soh deu e não recebeu nada em troca, que o que recebeu foi o que restou do tempo dessa pessoa, que uma hora eh doce, outra azeda, uma hora amigo, outra um estranho, uma hora alegre na outra triste
Mas o que vale eh que seu coração sabe que vc eh sincera, que amizades não são descartáveis e que tudo eh válido, mesmo que a amizade tenha sido unilateral...
Como eu tenho me decepcionado com as pessoas que eu gosto, e uq emais dói eh não ter o botão de on/off que essas pessoas tem.. mas o que me consola eh que ainda acredito nas pessoas e nas amizades, e não vou deixar uma decepção dessa me fazer mudar, vou ser sempre amiga, sempre sincera e NUNCA, JAMAIS vou usar as pessoas para divertimento, passa tempo ou distração...
Muito triste com a atitude de quem eu cheguei a admirar pelo carater generoso

SINDROME DE PATINHAS...


Não tenho paciência com mesquinharia. Não suporto quem faz questão de pouquíssimo, quem gosta de cutucar por bobagem, quem opta pelas coisas pequenas. Não tolero quem briga por centavos, quem não consegue dar uma folga ao empregado sem reclamar, quem mendiga exclusividade de qq besteira.
Infelizmente, este é o tipo de sentimento que anda à solta por aí. E em grande quantidade, pulverizada. Quando a gente menos espera, surge ele. Vive à espreita, alimentando-se de migalhas...
Credo. Peço a Deus para não me deixar contaminar.

DAMOS MUITO...


Dar muito mais do que nos é pedido ou é suficiente para o outro é problema de nove entre dez mulheres. Estamos sempre aptas a embarcar, a amar sem limites, doar sem pudores, seguir adiante apesar dos pesares. Muitas são aquelas que morrem logo após a perda do parceiro; adoecem logo após o filho se recuperar de um doença grave; perdem o emprego pq a mãe estava tão deprimida que ela deprimiu tb.
É a nossa sina.
Quisera ser diferente e não ter tanto para dar. Quisera poder simplesmente oferecer o que me é exigido. E depois: "beijoetchau!". Cada um tem a sua vida, cada um tem seus problemas. Estou ao lado, mas não sou responsável pela dor do mundo. Mas eu não. Não consigo ser assim. Compro a briga; assumo a questão como se fosse minha. Alguns podem até dizer que isso é nobre, mas sinceramente nunca busquei a nobreza. Só quero ser feliz. E para isso basta ser humano. De carne e osso.
Às vezes, vejo que o outro até me pede menos atenção, menos amor, menos empenho. Porém, está além de mim. Quero participar, partilhar, dividir.
Mas vou tentando... Não dizem que a vida é uma eterna tentativa?
Tô nessa.

TARDES DE ROMANCE ...


Para suportar minha reclusão por conta do meu repouso forçado só pegando um arzinho e assistindo a um filminho água com açúcar.
Para não fugir muito da seara, optei por "A Verdade Nua e Crua", afinal só o fato de ter Gerard Butler no papel principal já valeria a pena. E - cá entre nós - melhor do que ele só a Seleção da Itália. E olhe lá.
O que posso dizer é que realmente o filme é só ele. No começo, a película é até engraçadinha, com umas piadas mais picantes do personagen Mike Chadway (Butler), que vive um apresentador de um programa de televisão bem ao estilo Sexy Hot. Saca um marcos Mion melhorado? Pois é... A questão é que o carinha acha que consegue, sem rodeios, explicar às mulheres o que passa pelas "cabeças" dos homens. Ou seja, é bom, mas chega uma hora que cansa. Sua nova produtora, vivida por Katherine Heigl, é lindinha, mas caretaça, chata, sonhadora ao cubo e workaholic convicta.
Vc ja sabe onde isso vai dar? Pois é...
Se vc quiser dar uma aliviada depois de um jogo do Brasil em que a Seleção fizer cagadinha semelhante ao que fez ontem (fraca, fraca...), vale até a pena. Fora isso, fique com a Seleção italiana. Ou então, assista "PS. Eu te Amo", com o mesmo Butler, que aí, sim, o romance toma conta da tela e ele dá tudo de si. Ai, meu Deus...

ANDO COM PREGUIÇA...


Tem gente que dá uma preguiça de conviver...
Tem dias que dá uma preguiça de acordar...
Tem papos que dá uma preguiça debater...
Tem coisas que dá preguiça analisar...
Ai, preguiça...

terça-feira, 21 de setembro de 2010

PAZ...



Só eu sei a paz que me dá aprender a usar o silêncio a meu favor.
Só eu sei a paz que me dá ligações inesperadas.
Só eu sei a paz que me dá ter alguém que torce para o Corinthians só por minha causa.
Só eu sei a paz que me dá ter alguém para perguntar sobre a vida dos candidatos ao Senado.
Só eu sei a paz que me dá sentir alguma coisa aqui dentro.
Só eu sei a paz que me dá fazer gordas refeições a dois.
Só eu sei a paz que me dá ter alguém para dividir minha coca-cola.
Só eu sei.... a paz que me dá!

segunda-feira, 20 de setembro de 2010

CARTA DE DESPEDIDA...




Prezado clube das solteiras...

É com muito amor dentro desse peito, que venho aqui anunciar meu desligamento deste Clube.
Ainda, espero que seja definitiva a saída, mas o que importa é que como tudo na vida é transitório, informo que suspendendo minha credencial e devolverei minha carteirinha, sendo assim, deixarei de usar suas dependências a partir deste exato momento.
Gostaria de deixar claro que nesses últimos 32 e meio, ainda que eu tenha cometido graves deslizes, e aceitado as punições que me foram impostas de forma obediente, fui muito feliz sendo sua associada e cumprindo todas as suas regras com obediência.
O Clube dos Solteiros sempre foi um lugar onde me senti acolhida e bem recebida, muitas vezes até segura e me recordarei de cada momento que passei usufruindo de suas infinitas possibilidades libertinas com muito amor e carinho.
Fico extremamente grata por cada noite acordada, amnésia alcoólica, viagem, carnaval, ano novo, intercâmbio, putchariaaaaa que este Clube me possibilitou. Agradeço também a minha vasta lista de amizades, pegas de uma noite, booty calls, nomes para minha agenda telefônica e MSN que não seriam possíveis se não estivesse associada a esta Instituição.
Aproveito o momento de emoção para requerer apenas uma mudança no tratamento de seus associados: peço para que os colaboradores desse imenso Clube sejam mais compreensivos e decentes, afastando a Solidão do quadro de participantes. Ela é má, injusta e opressiva e acaba tornando a vida das pessoas mais confusas e perturbadas.. Eu sempre a encarei de cabeça erguida e com respeito, mas não é toda hora que as pessoas gostam de ter uma batalha com esse ser, pois ela é muito, muito persuasiva.


Por fim, gostaria de dizer, que apesar do fato de a minha permanência ter sido estendida e por esta razão, eu ter sido até mal julgada pelo mundo aqui fora, eu não me importo, pois ter me associoado à você foi uma decisão sábia e o melhor momento de toda a minha vida. Em breve entrarei para o clube das casadas...


Fica aqui o meu Adeus!


Beijomeliga!

GENTE CHATA




Ai como eu odeio gente morna. Me dão calafrios esses tipinhos cinza, pra quem tudo tanto fez como tanto faz. Não se afetam por nada, seja bom ou ruim o que lhes aconteça. Não tem postura, iniciativa nem atitude. Por vezes falta até “presença”, aí não há quem agüente. Eu não agüento, pelo menos. Tem coisa mais desconfortável que passar uma hora que seja com alguém monossilábico, de olhar perdido e que sequer finge interesse no teu papo?

Talvez pela natureza tempestuosa que tenho, eu não consiga me conformar com esse marasmo que se apodera de alguns seres, e por isso também minha luta incessante pra que eu não seja “contaminada”. Não falo aqui daqueles dias que a gente acorda funcionando em meia fase, que isso todo mundo tem, mas existem pessoas que são assim 24/7. Um dia baixou um negócio nelas e agora não há pai ou mãe de santo que cante pra isso subir.

Não sei se dá pra dizer que não têm calor humano -que, aliás, é uma expressão boba que eu nunca defini direito. Não são pedras de gelo, porque gente fria também desperta algo, ainda que repulsa ou indiferença. Mas quando a cara da criatura é a mesma chorando ou rindo, com cólica ou no meio de uma festa, não há alma que suporte.

BEBADO E CRIANÇA TEM ANJO DA GUARDA...





Preciso revelar que eu descobri como acontecem as videocacetadas com bebês que passam no Faustão. Juro que quando via aquilo achava uma falta de absurdo a mãe do pobre bebê filmando a criança em situação iminente de perigo. Era óbvio que ia dar merda! E dava!
Pois estava eu brincando com a Isa na casa da minha mãe quando ela engatinhou até a escada, e muito bravamente resolveu que ia tentar subir. Eu acompanhando tudo muito de perto, vi a criatura subir um degrau e descer de bunda. Umas 10 vezes! Não resisti e peguei a câmera para filmar. E a Isa quando vê a câmera já sabe o que tem que fazer. APARECER. Resolveu subir a escada com uma bolinha na mão, ocorre que a bolinha caiu, e ele não teve dúvida, pulou de cabeça do segundo degrau da escada pra pegar a bolinha. Sim, eu filmei tudo. E não, eu não vou postar o filme pois são cenas fortes! Fortíssimas! Mas graças a Deus o anjo da guarda da Isa é de uma linhagem muito mais nobre do que o meu e ela não ficou nem com a testa roxa.

sexta-feira, 17 de setembro de 2010

SENHOR ...



Senhor, bem sabe que nunca fui boa em fazer orações. Mas por ser o todo poderoso deve saber o que se passa em meu coração. Dizem que sim, que o Senhor sempre sabe o que se passa dentro da gente, mas eu não sei o que pensar! Poderia dizer que acredito, mas vai que é verdade? Aí já vai saber que estou mentindo. Mesmo sem saber o que pensar eu oro todo santo dia, agradecendo e fazendo um pedido. Eu nem tô pedindo muito, eu só quero um coração brando e que minha saúde melhore, só isso. O Senhor não precisa me dar grandes coisas, só precisa me dar o suficiente para tirar essa angústia do meu coração. Eu não sei muito bem como é que se ora, mas na certa estou fazendo algo errado, porque resultado não vejo. Por isso escrevo. É que quando eu falo fica difícil de entender, mas quando eu escrevo é como se eu pudesse falar todas as línguas. O Senhor tem o título de maior importância em minha vida.
Que eu tenha coração tranquilo, mente aberta, pés no chão e asas do lado de dentro. Sabe como é? Igual a Ana Jácomo falou : "Passarinho tem asas do lado de fora, a gente do lado de dentro". Estou tentando encontrar essas asas. Quero um coração feliz, que sorri pra tudo e todos, mas não do tipo bobo, do tipo esperto! Vai moldar pra mim? Tomara que sim. Acredito na fé, mas talvez eu acredite em algo que eu mesma não possua, porque bem diz a bíblia, aquela sagrada, que quando a gente ora com fé, a gente até move montanhas. Nem montanhas e nem nada, eu continuo no mesmo lugar. O meu correr se iguala ao correr de um pesadelo, quando você sabe que se não correr algo de ruim vai te acontecer, aí você corre bastante e logo depois descobre que droga, é, droga... Eu não saí do lugar. Vez ou outra você acorda, mas pode acontecer de continuar dormindo com a frustração de não sair do lugar. Meu Deus, até dormindo as tais frustrações. Eu só preciso que o Senhor prometa que vai fazer esforço pra entender essa carta, e eu preciso saber de algum jeito se a carta chegou até aí. Eu só preciso saber. E vamos deixar algo combinado? Caso não considere cartas, o Senhor promete me ensinar a orar? Talvez a gente já nasça sabendo, mas se isso for verdade, na certa desaprendi! Tá me olhando daí? Tô sorrindo daqui. Amém.

TOMARA...



Noite de domingo em São Paulo, frio cortante
na cama embaixo de cobertor e edredon
vejo uma entrevista com meninos que moram nas ruas:
repórter:- É Deus quem te guia ?
menino:- Tomara!

Que esperança e crença
pode ter um menino que além de morar na rua, dorme empoleirado no toldo dos corredores de ônibus,
para se proteger dos "grandes"?
Esperança que exista alguém ainda maior que possa protegê-lo.
Tomara!

Eu como aquele menino de rua, tenho optado por crer que existe sim um Deus, uma vida depois disso tudo, uma vida antes , onde tudo possa se justificar e ter enfim um sentido e justiça...É insuportável não crer, é insuportável que a vida desses meninos e de tantas outras pessoas, seja só um amontoado de dor e carência e que ao final, tudo termine assim...Uns morrendo de dor, outros de frio e de outras tantas formas desumanas.
Prefiro e preciso acreditar que um Deus lá de cima olha, abençoa e de alguma forma promete dias melhores... Mas também não posso negar, que temos uma parcela de culpa horrível, no estados de todas as coisas e vidas.
Em um dos filmes que compõem o documentário 11 de setembro, quando a professora comenta que um avião destruiu uma das torres, um menininho pergunta:
_ Foi o Deus?
Ao que uma outra menina responde:
_ Não seu bobo, o Deus não faz aviões, o Deus fez os homens!

Tem muito “humano” por aqui brincando de Deus e destruindo vidas, tem muita gente fornecendo as armas para depois, baseado no “perigo que é alguém armado” se outorgar o direito e o dever, de ir até lá desarmar, matar e “cuidar do território”.
Tem muito “humano” fomentando a violência, patrocinando e lucrando com o crime e toda uma série de injustiças sociais, para depois pedir pena de morte.

RECEITA MÉDICA



Um dia um médico me receitou: “OLHAR O CÉU 2X AO DIA”, era um SOL REMÉDIO,como posologia, pra me lembrar de querer voar como águia e não ciscar feito galinha.
O Fabio me disse dia desses que eu devia ser receitada, como posologia também, foi um dos elogios mais originais que me fizeram nos últimos tempos.
Podemos todos ser remédio ou veneno, e eu gostei de lembrar da minha capacidade de ser melhor do que pior, de ser cura e não doença.
Talvez o grande aprendizado daqui, seja retirar das posologias pessoais a parte que nos cura, a parte que nos ajuda na luz, que nos eleva, em todo e qualquer contato real, existe a dose que sana e a que danifica, ficarmos RESSENTINDO a doença é uma injustiça, deveríamos SENTIR e RE-SENTIR, (sentir de novo) todo o bom que foi e pode sempre ser compartilhado, o que existiu de bom não se apaga, (nem o mal se resolvermos, mas quem precisa disso?).
Sentir e valorizar o quanto (tanto) que uma relação um dia nos fez mais e melhor é querer a cura.

Tem gente que nos ajuda na expressão , fala com verdade, põe água nos olhos , não mede palavra, não economiza emoção, gente assim que por ser mais gente, nos liberta, enche os olhos quando fala,
gente que guarda a luz, do menino que empinava pipa, que nadava no rio, gente que faz histórias bonitas
e as coleciona como figurinhas premiadas...

Olhar o sol 2x ao dia, nem sempre se consegue, ás vezes nubla...
Olhar o brilho das pessoas nem sempre se consegue, ás vezes o olhar turva...
O fundamental é querer enxergar e voar,a cura está na intenção do olhar e sempre vale á pena!

Quem já esteve no alto, sabe o que é ganhar o céu, ganha-se a luz e o ar...e isso ninguém nos tira...

Férias



Um rede me embalando, uma sesta, uma sombra, uma lua cheia nascendo no mar, eu e meu amor acordando num azul imenso na primeira hora da manhã e a felicidade se instala do meu lado, como cúmplice, divide o tempo comigo e rimos de qualquer bobagem.
A esperança passeia comigo no fim de tarde e catamos conchinhas.
Volto de férias com os olhos acostumados com amplidão, aquele mar sem fim, me tiram do prumo da maneira mais saudável possível.
Volto do mar com o corpo relaxado, sem espaços delimitados, sem obrigações, basta uma semana sem conexão e já sou outra, já brinco na areia, me atiro na onda, sou criança tranquilamente e sou livre.
Volto livre pra cá e logo preciso me acostumar a ter horários, a checar e-mails e respondê-los, a atender celulares, a colocar roupas a mais, a olhar pra atravessar a rua, a prestar atenção, a correr, a pagar contas, tenho que aprender a ter pressa e delimitar a visão.

Por pura necessidade, aprendi um jeito de deixar o corpo continuar em férias por mais tempo: Havaianas e vestidões.

Posso alugar a cabeça e as mãos, mas meus pés e meu corpo permanecendo em férias, tenho garantida esperança e a felicidade sorridentes por mais tempo, até a próxima brisa beira-mar.

quarta-feira, 11 de agosto de 2010

...



E lá fui eu. Vestida de diaba. Era, era sim. Vestido vermelho, ulradecote, saltos, chifres, chicote e maquiagem básica. Éramos três cramulhões, na realidade. Ainda tinha amiga zóio azul e amiga carioca. Era uma festa em alusão ao Dia das Bruxas. E vamocombiná que como a bruxa andava à solta (anda, melhor dizendo) todo cuidado era pouco para não se transformar efetivamene em uma. Chegamos animadas. Lugar começando a encher. Amo festa à fantasia. Pq posso ser quem quiser. E no meu figurino dominarix do inferno, tava adorando as cantadas. Quer dizer. Nem todas.

_ Dá aquela gargalhada que nem filme de terror?
(Oi???)
_ To de diaba. Não de bruxa.
_ Ah, mas vai, gargalha...
(Só se for da sua cara. Prego)
_ Vai ali no bar, vai. Na volta, eu gargalho...

Saí. Fui dar uma volta. Encontrei um barbudinho no bar interno. (Quem me conhece, sabe que tenho queda por aqueles manezinhos com cara de diretor de curta-metragem). Ok, o que vamos beber dessa vez??? O de sempre. Peço meu copo de agua básico. O carinha vai de cerveja. Fudeu, cruzou os olhos. Com os da minha amiga zóio azul. Mas emendou um papinho comigo sobre algo corriqueiro, risadinha. (Sempre tenho uma tirada inteligente e ironica nessas horas e pareço o mais agradável possível. Nada de fazer a blasé). Mas o olho temia em outra direção. Como odeio disputas, disse que ia ali fora. Fiquei um tempo papeando com galerinha das antigas, bebendo, olhando os franks, os curupiras e os sacis... Voltei pra dançar. Encontro o barbudin. Zóio azul atracada com um lutador de jiujitsu-kung fu-kick boxer-van dame. Manezinho ali sozinho...
_ Ué, ainda tá aí?
_Tava te esperando. Vc não me chamou pra ir com vc então fiquei aqui.
(Até parece... Mas dei corda)
_ Ah é? E como sobreviveu à minha ausência.
_ Agarrado à lata de cerveja
(Gostei. Espirituoso)
_ Vou dançar...
_Pera aí. Vamos conversar um pouquinho (chegando perto, muito perto mesmo)
_ Hum, vamos lá: física quântica, Hugo Chavez ou Mulher melancia?
_ Você... (Hum, megaesperto e barato. Adoro!)
_ Eu? O que vc quer saber? Além do meu nome, talvez...
_ Do seu nome e ... do seu beijo. Sei que vc tá loka pra me beijar (ai, não resisto aos convencidos pois sempre me parecem seguros)
_ E vc queria beijar a zóio azul....
_ Admito, ela tem o olho lindo. Mas vc é divertida, charmosa, linda e sexy. (Aí foi, né. Vou ficar fazendo a linha intocável pra que? De mais a mais sexy e charmosa são elogios dos quais me apeteço muito)

E foi bem bom. Barbudinho era surpreendenemente bom, embora um pouco afoito, metendo dentes e tals. Enfim, nos divertimos a beça. Até a hora em que vi um amigo de longuíssima data.
Abraços carinhosos, apertados, felicidade de encontro. Eis que barbudinho me segura pela cintura, como se fosse namorado, franze a testa e amarra a cara. Amigo que saca climão, cai fora.

_ Vc tava dando mole pra esse cara na minha frente?
(Oooooi???)
_ Não que precise, mas ele é meu amigo de zentos anos...
_ Eu vi como ele olhou pra vc...
(Ai saco! DR com pseudopeguete???????????)
_Ai barbudinho adoro essa música. Vem...
Saio puxando barbudinho pista adentro. Ele ameaça querer continuar o descabível. Mas o beijo. Ameaça falar. Beijo. Dançamos, fizemos planos de uma noite, aquela coisa básica de gostosa e gostoso e me deu vontade de fazer xixi.
_ Barbudin vou ao banheiro, vc pega uma bebida pra gte?
_ Não, vou com vc...
E sai me puxando pela mão como se fosse meu marido há 30 anos. Monta guarda na porta do banheiro e eu quase penso em pular a janela. Como é alto demais e o barbudin até beija bem, saio pela porta mesmo.
_ Vc queria vir sozinha pq ia se encontrar com aquele cara, né? (o amigo tava na sala ao lado)
_ Quem?
_ Não se faz de desentendida não...
(Ah agora me emputeci)
_ Olha aqui, barbudin, vc tem o que, uns 35 anos? Já foi corneado qtas vezes? Cara, se toca. Se precisasse dar um perdido em alguém, nem ficaria com vc. Tava até gostando e tals, mas agora deu, já foi, não quero perder minha noite num blablabla idiota com alguém que não é e nem será nada meu...
_ Mas eu... Pera, é que... Poxa, a gte tem... Rolou uma conexão... Pensei em levar vc na minha casa amanhã, e a gte ir ao cinema, e namorar, sei lá....
(Ppsycho)
_ Não, isso é letra de música barbudin. Eu só tava afim de curtir minha festa à fantasia, não costumo sai de chifres sempre, sabe? E claro, viro o demônio às vzs, mas hj era pra ser de uma forma mais lúdica, sacô. Só que vc deve ser o porteiro chefe do inferno. Misquece!

E lá fui eu, sozinha, prapista com meu copo de agua, meus chifres e meu chicote, dançar até de manhã. Pq de boas intenções o inferno tá cheio...

Ate nos falamos algumas outras vezes pr msn e celulat, fiquei ate cauicinha, mas ele quis me converter de diaba a santa. Parei!

segunda-feira, 9 de agosto de 2010

Limpeza geral de vez em quando eh bom!



Dia de faxinar a vida. Limpar a memória. Rever o passado e álbuns e livros e promessas de amor descumpridas. Compriiiiiiiiidas. Tarde vazia alheia ao futuro. Só o passado não me condena e me ronda e me liberta para ser feliz outra vez. Mentira. Já sou feliz assim. Nesse meu tempo meio doido, doído e corrompido pelo que podia ter sido e jamais será. Numa caixa encontrei uma outra eu. Tão obsoleta quanto àquele gravador, uma fita k7, a máquina fotográfica que usava filme, o celular pesadão, um relógio fora de moda. Tudo ficou para trás. Assim como os planos e sonhos e o amor. E os quilos a menos. Era tão jovem e tão bonita e tão ingênua. Sou mais interessante hoje, no entanto. E percebo como meus cabelos estão melhores, ainda que insistam em não terem anda de extraordinário, e que o sol não sacaneou ainda a minha pele, que continua macia. Hoje posso comprar mais cremes e já acredito neles. Antes os deixava na penteadeira para enfeitar. Mas o tal do filtro solar ainda não é meu melhor amigo. Continuo errando, pelo visto. E tropeço ao beber além da conta e de além da conta pegar o celular para mandar mensagens truncadas e trincadas madrugada afora. Uma boa constatação é que na gaveta não ficou minha disposição para me atirar. Ainda que o faça com mais parcimônia, sejamos bem sinceros. Mas a paixão sempre existiu e não quero desacreditar nela, desconfiar de que não seja boa. Teve época em que me apaixonava três vezes ao dia. Por homens e sapatos diferentes. Quando estou triste compro sapatos. Afinal, comprar homem dá mais trabalho... Continuo fazendo isso desde a adolescência. Freud diria que é carência paterna. Sei lá. Pode ser. Mas comprar sapatos é altamente reconfortante. Devo ter um quê de Doroty, uma apaixonada confessa por pares vermelhos e mágicos. Ou Imelda, vai saber. Hoje dei sapatos. E roupas. Que não me serviam, que não serviam pra nada. Só ocupando espaço e lembrança. Vai levar pra alguém uma nova esperança e mais uma lembrança que não mais me pertence. Achei coisas perdidas que nem sei se queria. Outras me fizeram surpreendentemente alegre. Poucas me fizeram chorar e em muitas não reconheci aquela garota. A fase é positiva para reciclar, transformar. Pegar o que tem de bom e aprimorar. E operando o milagre do desapego também decidi colocar no lixo as regras impostas, as vontades sufocadas e o não parecer. É preciso remexer no interior pra ver que não se pode ter o novo cultivando o que ainda é antigo e deveria ter ficado dentro de um livro tal qual flor desidratada. Que venha o que tiver de vir. Que aconteça o que tiver de acontecer. Que se realizem ou não os desejos mais secretos.
Um dia após o outro.
De minuto a minuto.
Respirando e suspirando a cada segundo.
Sem entraves, sem barreira,
Sem se.
Sem será.
Sem talvez.

quarta-feira, 4 de agosto de 2010

APROVEITE A VIDA...



Estas dicas são de um texto antigo, mas não deixam de ser sempre atuais.

Enjoy it!!!

1. A vida não é justa, mas ainda é boa.

2. Quando estiver em dúvida, dê somente, o próximo passo, pequeno...

3. A vida é muito curta para desperdiçá-la odiando alguém.

4. Seu trabalho não cuidará de você quando você ficar doente. Seus amigos e familiares cuidarão. Permaneça em contato.

5. Pague mensalmente seus cartões de crédito.

6. Você não tem que ganhar todas as vezes. Concorde em discordar.

7. Chore com alguém. Cura melhor do que chorar sozinho.

8. É bom ficar bravo com Deus. Ele pode suportar isso.

9. Economize para a aposentadoria começando com seu primeiro salário.

10. Quanto a chocolate, é inútil resistir.

11. Faça as pazes com seu passado, assim ele não atrapalha o presente.

12. É bom deixar suas crianças verem que você chora.

13. Não compare sua vida com a dos outros. Você não tem idéia do que é a jornada deles.

14. Se um relacionamento tiver que ser um segredo, você não deveria entrar nele.

15. Tudo pode mudar num piscar de olhos. Mas não se preocupe; Deus nunca pisca.

16. Respire fundo. Isso acalma a mente.

17. Livre-se de qualquer coisa que não seja útil, bonito ou alegre.

18. Qualquer coisa que não o matar o tornará realmente mais forte.

19. Nunca é muito tarde para ter uma infância feliz. Mas a segunda vez é por sua conta e ninguém mais.

20. Quando se trata do que você ama na vida, não aceite um não como resposta.

21. Acenda as velas, use os lençóis bonitos, use lingerie chic. Não guarde isto para uma ocasião especial. Hoje é especial.

22. Prepare-se mais do que o necessário, depois siga com o fluxo.

23. Seja excêntrica agora. Não espere pela velhice para vestir roxo.

24. O órgão sexual mais importante é o cérebro.

25. Ninguém mais é responsável pela sua felicidade, somente você...

26. Enquadre todos os assim chamados "desastres" com estas palavras: 'Em cinco anos, isto importará?'

27. Sempre escolha a vida.

28. Perdoe tudo de todo mundo.

29. O que outras pessoas pensam de você não é da sua conta.

30. O tempo cura quase tudo. Dê tempo ao tempo...

31. Não importa quão boa ou ruim é uma situação, ela mudará.

32. Não se leve muito a sério. Ninguém faz isso.

33. Acredite em milagres.

34.. Deus ama você porque ele é Deus, não por causa de qualquer coisa que você fez ou não fez.

35. Não faça auditoria na vida. Destaque-se e aproveite-a ao máximo agora.

36. Envelhecer ganha da alternativa -- morrer jovem.

37. Suas crianças têm apenas uma infância.

38. Tudo que verdadeiramente importa no final é que você amou.

39. Saia de casa todos os dias. Os milagres estão esperando em todos os lugares.

40. Se todos nós colocássemos nossos problemas em uma pilha e víssemos todos os outros como eles são, nós pegaríamos nossos mesmos problemas de volta.

41. A inveja é uma perda de tempo. Você já tem tudo o que precisa.

42. O melhor ainda está por vir.

43. Não importa como você se sente, levante-se, vista-se bem e apareça.

44. Produza!

45. A vida não está amarrada com um laço, mas ainda é um presente.

Escrito por Regina Brett, 90 anos de idade, em The Plain Dealer, Cleveland, Ohio:

"Para celebrar o meu envelhecimento, certo dia eu escrevi as 45 lições que a vida me ensinou. É a coluna mais solicitada que eu já escrevi."

Bjôoooooooo

terça-feira, 3 de agosto de 2010

CONFESSANDO...



Sabe eu nunca entendi muito bem essa história de confissão. Ora. Como assim? Eu vou lá e conto meus pecados?
Tirando minha opinião religiosa do meio da discussão, eu acredito que o grande mote da confissão é essa coisa de colocar para fora. De tirar de dentro de si algo que já não cabe lá.
O problema é saber para quem confessar.
Eu escolhi este lugar. Onde eu posso me despir daquela imagem de boa garota, certinha, organizada, com metas e objetivos. Garota reta que nunca dá passos em falsos. Acreditem ou não eh assim que sempre fui taxada.
Confessar aqui o que eu desejo, o que sonho, meus pecados reais e imaginários, é mais valioso que anos de terapia intensiva. Engraçado como o mundo virtual tem disso. Nos liberta de nossos próprios preconceitos. Pelo menos por aqui...
Então voltando à confissão eu admito que não sou fã, não da confissão em sentido stricto sensu.

Vou fazer um adendo aqui, o que eu queria falar é: Porra!!!! Advogado deve gozar sempre que encontra no dicionário uma palavra estranha e que ninguém conhece, e que você não consegue deduzir pelo contexto. Sério. Sei lá, eu quase me sinto tentada a fazer direito para ver se eu entendo essa tara louca por palavras esdrúxulas. Quase.

Voltando... Mas a confissão no sentido lato sensu é algo que sempre gostei e utilizei. Admito ter um prazer infinito ao confessar meus pequenos pecados (o que me torna uma pecadora pior ainda). Já os grandes pecados, esses eu deixo prá Deus resolver que Ele sabe bem o que vai ser de moi.

Duvido vc não se emocionar

quarta-feira, 28 de julho de 2010

ELISABETE VANESSA



Existem algumas pessoas que marcam a vida da gente, e ficam como cicatriz mesmo ... A Vanessa eh uma dessas, tantas histórias, tantos momentos, vivemos alegrias, tristezas, mas o mais importante, NÓS VIVEMOS! E apesar do tempo que passou as memórias são tão recentes...
Viagens para o sitio TODO final de semana
Não me lembro de ter passado essa epóca sem te-la visto um dia sequer, nos vimaos todos os dias, assim como nossas mãe eramos inseparaveis...
Quantas descobertas fizemos juntas, me lembro que estava com ela quando ela ficou "mocinha" e fui eu quem ensinou com ela deveria fazer! rsrs
Me lembro das tardes no "Merlyn", dos finais de semana na Riviera, das noitadas engraçadas, dos passeios, dos amigos que entravam e saiam das nossas vidas!
Me lembro especialmente da familia dela, que era uma extensão da minha minha
Ficmos um tempo sem nos ver, a vida seguiu caminhos diferentes (nunca por vontade nossa) mas o que vivemos esta sempre aqui...
Ela eh e sempre vai ser a Van, apesar de quase todos os amigos a chamarem de Beth, eu não consigo ve-la assim, pra mim será sempre a Vanessa, com a risada mais escandalosa do mundo, o coração enorme, que gosta de colocar mascras e assustar crincinhas (lemra disso??, rsrs)

Van, amo vc
sempre

sexta-feira, 23 de julho de 2010

QUERO VE-LA SORRIR...



Em busca de ideias para animar a minha tarde, me lembrei de alguns momentos em que lavei a alma com músicas bregas!!hahahaha
Seus problemas acabaram!!!!! Pelo menos no que depender do repertório abaixo. De gosto duvidoso, claro, mas de levantar qualquer astral. E divertir qualquer dia sem graça. Vamos lá:

1) Fogo e paixão. TUUUUUUUDO!!! Acho essa música muito fofa e adoro cantar: E quando sai de mim, leva meu coração, você é fogo, eu sou paixão...

2) Vou tirar você desse lugar. Gente, essa canção conta uma história de amor incrível, a de um cara que se apaixona por uma prostituta e, sem medo de ser feliz, decide encarar o romance. Não é o máximo? Só quem não tem coração pode desdenhar. Salve Odair José!!!

3) Conga, Conga, Conga. Nada pode ser mais brega do que a Gretchen gemendo enquanto canta, mas, fala sério, você já viu alguma pista não bombar ao som desse hit?

4) Como uma deusa. Eu sei, a letra não faz o menor sentido, mas, vamos combinar, que mulher não se sente maravilhosa brincando de ser deusa com Rosana? Eu me sinto, hahaha!!!

5) O meu sangue ferve por você. Sidney Magal é meu ídolo forever (devidamente homenageado na foto acima). Sem falar que Ah, eu te amo. Ah, eu te amo, Ah, eu te amo: o meu sangue ferve por você são versos caprichados.
6) Caminhoneiro. Fico com o coração apertado quando ouço: Todo dia quando pego a estrada, quase sempre a madrugada, o meu amor aumenta mais... Tão cafona e tão bonito, né? Adoro Roberto Carlos.
7) Você não me ensinou a te esquecer. Clássico brega que bombou ao ser regravado por Caetano Veloso. Agora que faço eu da vida sem você, você não me ensinou a te esquecer...Lindo, lindo.

8) Nuvem de lágrimas. Ah, jeito triste de ter você. Longe dos olhos e dentro do meu coração. Me ensina a te esquecer. Ou venha logo e me tire dessa solidão... Adoro letras passionais com arranjos escandalosos e os vozeirões de Fafá de Belém e Chitãozinho e Xororó para completar. O máximo.

9) A raposa e as uvas. Reginal Rossi explodiu em todo o país com Garçom. Mas, para mim, o melhor da obra dele é uma musiquinha fofa que começa com Lembro com muita saudade daquele bailinho, onde a gente dançava bem agarradinho, onde a gente ia mesmo é pra se abraçar...

10) Lua de cristal. Falem o que quiserem da Xuxa: eu era fã (veja bem ERA), não posso negar. E, até hoje, acho essa canção uma ode ao empreendedorismo, de verdade. Uma mensagem de estímulo à perseverança e à conquista dos nossos objetivos. Adoro. Com direito a, junto com mais três amigas, ter subido no palco de um karaokê com banda ao vivo, lá em Paraty (saudades, saudades), e soltar a voz cantando: Lua de cristal, que me faz sonhar, faz de mim estrela, que eu já sei brilhar... Para ser honesta, a primeira reação da platéia diante de tal causação foi o silêncio (vai ver estavam pensando se não era o caso de vaiar, hahaha!!!), quebrado por um coro ainda na metade da nossa performance. Ao final, fomos aplaudidíssimas.

segunda-feira, 19 de julho de 2010

TUDO MUDA


Tenho pensado muito. Em muitas coisas diferentes. Pensado em como as pessoas às vezes fazem questão de serem estranhas, pensado em como as meninas hj em dia não são mais meninas, pensado em como venho envelhecendo com tamanha pressa. O último item talvez seja o que mais me assusta. Não q os outros não assustem, mas o fato de envelhecer não me cai bem. Não só pelas rugas e marcas de expressão que vão começar a surgir pelo meu rosto, mas principalmente pelo fato de não conseguir mais olhar a vida com os mesmo olhos de antes. Será que me faço entender ? Não sei...
Todos os dias vou para o mesmo lugar, aos finais de semana ( e alguns dias da semana), namoro, festinhas e jantares. Os mesmos amigos. Mesmos tudo... Tudo igual. Lembro-me que até bem pouco tempo atrás, nunca achei nada "igual", mesmo quando a rotina insistia em bater a minha porta... Agora, meus olhos mudaram, penso eu. Minha mente fica cheia de imagens antigas, como se num passe de mágica eu me desconectasse daquele daquele "bendito" sacolejar da adolescencia e me transportasse pra outras épocas, Imagens, sons, risos, cenas... coisas tão boas... mas tão passadas. Vividas há tanto tempo... Deus meu, como é ruim envelhecer e perceber o frescor e a vitalidade daqueles que ainda não envelheceram. Me pergunto: será que ainda tenho solução ?

sexta-feira, 16 de julho de 2010

Meu animal é gente!



Não se nasce gente, torna-se gente. “Tenha modos, menina, tome juízo. Não perca a cabeça, seja obediente. Amadureça!”. Crescemos ouvindo conselhos sobre como fazer o nosso animal ser gente. À medida que envelhecemos, somos cada vez menos animal e cada vez mais gente. Aprendemos a domar os instintos, racionalizar os sentimentos.
Um bebê só sente. Chora quando quer comer. Sorri quando sente cócegas. Faz cocô e xixi quando dá vontade. Berra quando sente dor. Já um adulto pode muito bem sorrir quando sente dor. E chorar quando está feliz. Fingir que sente. Ou que não sente. Isso é o que chamam amadurecer. É conseguir esfriar o sangue quando ele esquenta. Engolir o choro e segurar as merdas dentro da gente até o momento apropriado. É ser adequado. É ser agradável. Mesmo quando por dentro nos sentimos um lixo. Será que ser gente é ser menos coerente entre o que sentimos e o que pensamos para atingir um objetivo?

Até que chega um ponto na vida que, de repente, você sente que não se conhece. Você fica confusa. O mantra “seja você” fica martelando na sua cabeça, batendo de frente com o velho “tenha juízo”. Afinal, quem sou eu, o que desejo? Então, você bebe, faz dança de salão para se soltar, aula de ioga para se conectar com o eu interior, terapia para se questionar. Uma busca enlouquecida pelo lado animal, que ficou escondido e só escapa de vez em quando, quando não se quer, te deixando espantada com suas próprias atitudes tão, tão... inadequadas. Você se estranha. E surta porque não aceita que também é animal e a natureza é mais poderosa do que você.

Observo a minha cachorra. Ela fica na dela quando está cansada, mesmo quando eu estou carente e imploro por um carinho. Quando é o contrário, ela, por sua vez, não tem pudores de pedir carinho quando eu estou cansada sem o menor pique para sair do sofá. Não faz nada para me agradar, a não ser quando quer comida. Interesseira? Não, transparente. Ela não blefa, não seduz, não planeja, não tem estratégia. Nela eu confio.

Pois é, as pessoas geralmente amam animais, mas reprimem o seu animal interior e desgostam de quem o escancara. São cavalos, não têm inteligência emocional, descompensados. Mas, afinal, os equilibrados, maduros e espertos, na verdade só são tão gente pra conseguir o que há de mais animalesco – sexo. Sexo como símbolo de carinho, de amor, de recompensa. Como os animais. No fundo, somos todos iguais, seres humanos ou cachorros

quinta-feira, 15 de julho de 2010

A VOZ DO POVO...



Para qualquer coisa que você queira acreditar, existe uma frase feita, que algum grego, romano, filósofo ou monge disse trocentos anos atrás. Elas vivem por aí, reproduzidas em livros de autoajuda, adornando mensagens de msn, de orkut, de facebook, de twitter, na boca do povo. Mas o fato de tantos sábios já terem feito afirmações tão conflitantes entre si, em vez de me consolar, me confunde e me deixa descrente de tudo.

Já ouvi dizer que “no fim tudo acaba bem, se não está bem, é que não é o fim”. Como também existe a célebre “tudo sempre pode piorar”. E aí? Qual delas é a verdade? Já escutei por aí que “só existem versões, a verdade não existe”. Como também já me disseram que o que vale é a “verdade de cada um”.

Quando algo inesperado acontece, tem sempre alguém que diz “não era pra ser...” na tentativa de te consolar. Mas logo penso na “No hay camino, el camino se hace”. Ai, meu Deus do céu... Tá escrito ou eu que escrevo? Assim não dá, poxa!

No final, é tudo poesia. Na prática, a gente vai levando do jeito que dá, se fiando no mais fácil, se agarrando à crença que nos deixa mais confiantes e felizes.

quarta-feira, 14 de julho de 2010

ANDAR COM FÉ...


Sempre acreditei que toda vez que a gente entra numa igreja pela primeira vez, vê uma estrela cadente ou amarra no pulso uma fitinha de Nosso Senhor do Bonfim, pode fazer um pedido. Ou três. Sempre faço. Quando são três, em geral, esqueço dois. Um nunca esqueci. Um sempre pedi: amor.

segunda-feira, 12 de julho de 2010

Madonna - Cherish (Video)

Em um sentido um pouco menos literal , na minha interpretação pessoal, "cherish" é um amor diferente, é um sentimento de afeto daqueles.... tipo uma coisa que não sai da cabeça porque você não pode tirar do coração.

Música que diz tudo:

Em um sentido um pouco menos literal , na minha interpretação pessoal, "cherish" é um amor diferente, é um sentimento de afeto daqueles.... tipo uma coisa que não sai da cabeça porque você não pode tirar do coração.

Música que diz tudo:

quinta-feira, 8 de julho de 2010

O AMOR...


"Ninguém ama outra pessoa porque ela é educada, veste-se bem e é fã do Caetano. Isso são só referências. Ama-se pelo cheiro, pelo mistério, pela paz que o outro lhe dá, ou pelo tormento que provoca. Ama-se pelo tom de voz, pela maneira que os olhos piscam, pela fragilidade que se revela quando menos se espera. Amar não requer conhecimento prévio nem consulta ao SPC. Ama-se justamente pelo o que o amor tem de indefinível. Honestos existem aos milhares, generoso têm, às pencas, bons motoristas e bom pais de família, ta assim, ó. Mas ninguém consegue ser do jeito que o amor da sua vida é''
(Arnaldo Jabor)

E quanto mais clichê esse tipo de texto pode parecer, mais verdadeiro ele é. Se tudo fosse tão simples e matemático as pessoas magras, com dentes brancos, bons ouvintes e bem educadas estariam sempre acompanhadas e bem relacionadas com as pessoas escolhidas.
Mas o que importa nessa vida é a forma errada de fazer a coisa certa.
Não importa se a gente se conheceu na balada, não importa se a gente ficou com um amigo dele (ou com mais de um), não importa os erros do passado, a forma como ele tem um estilo diferente do meu. Não importa a música preferida e nem os defeitos de comportamento.
Importa o que ele me faz sentir. Como eu me sinto com ele.
Importam as expectativas. Importa o amor e a dedicação que a gente quer ter um com o outro. Importa olho no olha, mão na mão, boca na boca.
Importa o que tem dentro do coração.

P.S: Tô romântica não?

quinta-feira, 1 de julho de 2010

NÃO EH UMA PENA..


Noutro dia, disse a uma amiga que a gente sabe quando será a última vez que vemos alguém. Não sei qto a vcs. Mas eu sempre soube escutar o silêncio do adeus iminente. Ele acontece num carinho diferente, num abraço ou numa simples frase: "que bom que a gente proporcionou prazer um ao outro". Poderia passar batido. Poderia soar como algo romântico. Mas não foi. No fundo, eu sabia o que aquilo muito provavelmente queria dizer. Podia ser inconsciente. Mas era uma manifestação. Seja ela qual fosse. Simples. Era.
Nas últimas vezes que nos falamos a despedida estava latente e não nos proporcionamos o tal prazer. Apenas o de jogar conversa fora. Mas não era mais a mesma coisa. Existe uma confluência quando a gte quer muito o outro. Mas quando já nao desejamos mais aquilo que pensamos desejar durante tanto tempo, surgem as questões. E a questão pra mim já era o que eu estava fazendo ali. Por que ainda estava jogando uma partida perdida.
Dali a dias, aconteceria o game over.
Provoquei uma resposta que não veio objetivamente. Mas, nas entrelinhas a ouvi. E por mais estranho que pareça, junto veio um alívio. Agora é 100% não. Mas 100% sim.
Nas últimos semanas me diverti muito. Tive dezenas de boas tardes de sexo, que por incrivel que pareça fora intensas. Chegamos a fazer planos para concretizar isso tudo. Pensamos muito em muitas coisas, em planos para um futuro. Quando, na verdade, eu sabia que nem havia presente.
O passado, no entanto, foi bom. Mas me sinto liberta de alguma forma. Liberta da necessidade de ter alguém pra conversar segredos. Liberta do SE. Pq SE é uma tormenta lenta, um maremoto que chega sorrateiro e nunca vai embora. SE é um talvez sem chance de sim. Entoa, pra nao ser exato, pq ser inóquo?
Este não é um texto de mágoa. Mas de constatação. Não é de desilusão. Mas de reprogramação. Quero um tempo só meu. Só pra mim. Me sinto num renascer. Com um profundo amor por mim e pelas coisas que conquistei e pela pessoa que me tornei. Não quero virar as costas pra mim e pras coisas que sinto. Mas tb não sei se quero abrir a guarda tao cedo outra vez. Um dia de cada vez. Um só por hoje para as coisas que não estao legais. Os doze passos pra felicidade plena. E um adeus sincero ao que já não faz parte da vontade.
Que a próxima última vez seja pra recomeçar do ponto de partida. Agora me sinta plena co quem amo. Tudo o que foi, mesmo sem ter sido tudo, foi válido.
Acabou.
Mas não é uma pena.

terça-feira, 29 de junho de 2010

A LOIRA DO BANHEIRO


Além de filmes de terror, minha infância foi assombrada por brincadeiras e histórias sinistras que as crianças insistem em cultivar. Sei de duas, em especial, que sofreram alguma espécie de intercâmbio entre a molecada do país inteiro e hoje marmanjos COM MAIS DE 30 anos de vários lugares do Brasil são capazes de lembrar alguma versão de ambas.

A mais famosa lenda é da Mulher do Banheiro, ou Loira do Banheiro, que foi como conheci. Trata-se sempre de uma criatura do sexo feminino que ataca crianças no banheiro. Lembro perfeitamente do dia em que uma das versões chegou à nossa escola. Eu tinha sete anos e um pequeno imbecil contou de uma moça que havia sido soterrada no banheiro de uma escola, após um desabamento. E porque seu corpo nunca havia sido encontrado, ela carregava a maldição de matar meninas (essa história era na medida para assustar garotinhas) enquanto as coitadas faziam seu tranqüilo xixi. Ela poderia aparecer sem nenhum convite ou respondendo a um complexo processo de chamado: era preciso dar três descargas, seguidas de três gritos e três pancadas na porta. Não riam, na minha cabecinha de passarinho isso fazia um super sentido.

Daí que na escola, com outras meninas, eu quase não tinha medo. Quase. A gente testava o processo de chamar a Loira just for fun e, por via das dúvidas, só usávamos o banheiro em grupo. Mas em casa… vocês não tem idéia do meu sufoco. Eu segurava o xixi até quase não suportar mais, e arrastava minha irmã mais velha para o banheiro por anos para não ficar sozinha. Fazia o xixi mais rápido da história do universo e NÃO dava descarga nem por decreto: vai que a Loira se confundia e achava que eu tinha dado três, ao invés de uma única descarga?

Por anos isso me amedrontou. Juro que tentava racionalizar coisas tipo ‘como ela respira dentro da privada?’, mas gente, eu tinha SETE ANOS! Era tenso, muito muito tenso.

Outra brincadeirinha TOSCA era a do copo. Numa mesa, dispunhas todas as letras do alfabeto em círculo e mais dois cartões escritos ‘sim’ e ‘não’, com um copo cheio d’água ao centro disso tudo. Aí rezava-se não sei quantos padres-nossos e teoricamente um espírito baixava no copo. Ele responderia às perguntas movimentando-se sozinho em direção às letras e aos cartões ‘sim’ e ‘não’. Lembro de ter começado essa brincadeira várias vezes, mas a gente nunca conseguia que nenhum espírito aparecesse. Realmente assustador era ouvir as histórias que todo mundo contava, sobre casas amaldiçoadas para todo o sempre por espíritos que apareciam em brincadeiras do copo e gente misteriosamente morta com cacos de vidro depois de tocar o copo numa dessas sessões. Eu ficava dias sem dormir direito, sonhando com espíritos e copos que se movimentavam sozinhos. Pior: por muito tempo tive verdadeira aversão a copos de vidro e fazia o possível e o impossível para usar só os de plástico.

Essa mesma brincadeira tinha uma alternativa que poderia feita durante a aula, em plena escola: no lugar do copo, usávamos um compasso segurado por dois colegas. E, apoiado numa folha com todas as letras e os tradicionais ‘sim’ e ‘não’, ele também seria possuído por um espírito depois de rezar não sei quanto de não sei o que. Várias foram as professoras que nos flagravam em plena atividade com o compasso e davam mais corda na história, contando de ‘casos pessoais’ que tinham ainda mais credibilidade que os nossos – afinal, elas eram professoras!

É porque Hollywood ainda não descobriu as histórias terríveis dos petizes brasileiros, porque valiam muito um filme. Mas eu garanto que não assistiria.

segunda-feira, 28 de junho de 2010

SE EU TIVESSE NASCIDO...


Se eu tivesse nascido...

...no Egito Antigo, teria sido RP da Cléo(patra)

...na Grécia Antiga, teria sido uma ninfa

...na Roma Antiga, teria sido amiga de Maria Madalena

...na Idade Média, teria sido bruxa e morrido queimada

...no Renascimento, teria sido uma atriz rechonchuda que teria posado para Botticelli

...no Iluminismo, teria sido a secretária de Adam Smith e anotado suas idéias para A Riqueza das Nações

...na Revolução Industrial, teria sido uma operária agitadora contra as péssimas condições de trabalho

...no começo do século XX, teria sido uma comunista maleta e feminista. Ou o oposto: uma dançarina de cabaré

...nos anos 50, teria sido uma menina que sonhava com os Beatles e que teria se recusado a casar

Mas como eu nasci em 1979, vim ao mundo com a liberdade pela qual as mulheres que vieram antes de mim tanto lutaram. Moças da minha geração não conseguem entender, por exemplo, porque Leila Diniz causou tanto furor com seu barrigão na praia – como já escreveu a amiga Divorciada. Simplesmente não faz sentido. Claro que o mundo ainda deve muito às mulheres. Temos muito pelo que brigar. Mas nem se compara a vida que temos hoje com a que nossas avós tiveram.

Eu nasci no final da ditadura, sou filha de pai-famoso-rico. Por causa desse histórico e de mais alguns "defeitos" de criação, virei uma "discursadora". Sou mister em defender o amor livre, a opção sexual, em desconfiar da monogamia extrema e em condenar o modelo de casamento que nossos pais nos deixaram.

Mas na real, na real meeesmo – apesar de toda a liberdade que me cabe - sou é uma pacata cidadã, respeitada que ganha 4 mil cruzeiros por mês. Vou ser esposa dedicada, dona de casa exemplar, lavar louça, fazer comidinha, supermercado duas vezes por semana. Gosto de tudo limpinho (descobri até que tenho TOC). E vou a-do-rar essa vida!

Por que eu acho que teria sido essas mulheres todas aí acima se, hoje, nesse mundo solto que Deus me deu (na verdade, que as mulheres me deram), sou mesmo é uma mulherzinha de trinta para lá de comum?

Será que, no fundo, ainda somos os mesmos e vivemos como os nossos pais?

quinta-feira, 24 de junho de 2010

NATHALIA ...


Ela me lembra gargalhadas. Deita ao meu lado e me abraça o pescoço com as duas mãos. Agora deu pra ser metida a artista. É só fechar os olhos e sinto seu cheiro. Aqueles olhinhos de ternura, brilhantes, curiosos e vorazes. Deu pra dizer que quer ser bailarina. Vê se pode. Acha que sou super-heroína e me chama de tia amiga com uma intimidade cortante. Quer me acompanhar. Me mostra sua biblioteca particular e me pergunta sobre coisas que não sei dizer. Invento umas mirabolâncias e ele acha tudo incrível. Anda preocupada porque está falando errado. Mas o inglês pronunciado precariamente é tão bonito. Sinto dor no peito ao ver o pé dela crescer. Já não consigo pegá-la no colo. Mas continuamos jogando almofadas no chão, edredom e cabana. Leio as histórias de Princesa. Inventamos música. Criamos receita. Nunca imaginei que poderia ser a melhor companheira que terei ao longo da estrada. Vê-la criar asas me causa comoção e me emociona. Mas dá medo. Às vezes a levo pra escola e nos perdemos no volume alto da musica cantada por nós, nos divertimos e não sentimos o trânsito. Em saber que o mundo tá aí e que ela vai se servir dele. Em posições opostas. Força motriz que desafia o vento. É bom contar-lhe histórias. Deu de ficar roendo unha enquanto assiste TV. Assistimos juntas a filmes e é minha fã enquanto danço a música do Panda. Ela me dá saudade da infância com suas conclusões definitivas. Suas palavras inventadas no seu glossário particular. Cuble em vez de clube. Tesse em vez de tivesse. Calina em vez de Carolina. Aligenina em vez de alienígena... A cada segundo amo mais. E talvez seja o único amor sincero que sinto hoje em dia. Em via de mão dupla. Estivemos revendo Partimpim esse fds. E descubro, vejam só, que a música preferida dela não é mais ligliglé. Agora gosta de Poeta aprendiz. De Vinícius. É ou não é pra amar incondicionalmente.

Para Nathalia, com todo o amor que existe no coração torto da Tia Ro

quarta-feira, 23 de junho de 2010

RECOMENDAÇÃO DO MINISTRO DA SAÚDE !!!



Recebi esse email e achei de utilidade pública postar aqui, kkkk

"Com a recomendação do ministro da Saúde que indica fazer sexo 5 vezes por semana para se manter saudável, fiquei com algumas dúvidas. Alguém pode me esclarecer?

- Os Planos de Saúde irão cobrir esse tipo de tratamento?

- Posso abater gastos com motel, bordel e sex shop do meu imposto de renda?

- Posso justificar faltas no trabalho com recibo de motel alegando que estava me tratando?

- Será preciso receita médica para comprar filme pornô?

- Monogamia não coloca a saúde em risco?

- Masturbação é automedicação?

- Suruba é saúde coletiva?

- Swing não é mudança de tratamento?

- Voyeurismo não é tratamento assistido?

- Travesti é medicamento genérico?

- Obsessão sexual não é hipocondria?

- Posso considerar poligamia como um tipo de tratamento médico?

- Doença venérea é um tipo de efeito colateral?

- Fazer uma? DP? ou ménage à trois? significa aumentar a dose da medicação recomendada?

- Boneca inflável é placebo?

- Vibrador elétrico é um equipamento usado para tratamento de choque?

- Posso ser processado por prática ilegal da medicina se eu convidar uma mulher para um programa?

- Stripers podem ser consideradas profissionais da saúde?

- SUS significa Saúde Urge Sexo?

- A expressão "Gozar de boa saúde" significa isso que estou pensando?

- Os hospitais públicos e postos de saúde serão obrigados a contratar profissionais do "séquiço"?

- Bordéis precisam ter um médico de plantão?

- O que meu dentista quis dizer quanto recomendou manter em dia minha saúde oral?

- Políticos não deveriam ter saúde de ferro por viverem fudendo o povo?

Quem souber, me mande as respostas com urgência!!